Domingo Índigo


[All i need, Air. Neeta Madahar.]

 


Lá vai o tempo do clube das  Maçaricas, dos almoços temáticos com o Manuel António de quatro anos atrás  e de Dom Sebastião, mal enjorcado, com a prata da casa. Recordo professores sem nome - a açoriana dos paninhos quentes, a amante de Vitorino Nemésio, a filósofa em eterno luto a chorar o nosso ramo de desculpas e a cigana que nos lia o futuro, nas aulas de técnicas de tradução. Lá vai o tempo dos graffitis de intervenção: "Regan go home. ... não é cemitério nazi." , "Jesus Cristo também tinha caspa" ou "Quem não for à manif é paneleiro"; o tempo das PJA, dos concertos dos Zé Manel Suicida e dos Vómito e do insulto fácil à directora, que era uma grande vaca!

Com a minha agenda electrónica, tem sido um vê se te avias! Este ano, não me escapa um aniversário! Parabéns, cara amiga Capa Negra!

publicado por Capa Rota às 09:50 | comentar