Domingo Índigo


Saber dizer sem grandes floreados. O que se quer. Como se quer. Porque se quer. Depois deste esvaziamento, alívio. Sentimento comparável ao deitar fora, indiscriminadamente, e ficar com mais duas prateleiras livres para nova arrumação. Entre Simon e Garfunkel, venha o diabo e escolha. Não consigo expressar o quanto me irrita o pifarinho desta música. E pensar que, um dia, achei  possível o entendimento no silêncio.

[Marilia Campos]

publicado por Capa Rota às 16:57 | comentar