(coisas de menina, de pernas para o ar)

Virou-se o corpo para despejo da mente, solução de última hora, como outra qualquer. Não haja dúvida de que tem razão, que sangue não é tónico para o  cérebro. Pés, de novo, no chão, pronto. Ainda assim, sabe que recusar os seus conselhos parvos só aumenta a humilhação de lhes estar tão grata. Feliz dia, criança!

 

[London, 1956.]

publicado por Capa Rota às 15:53 | comentar