Se a janela é a mesma, espreita de outro lado...


 

No início, escrevi:

 

"A próxima coisa essencial a fazer é  fixar-me numa casa de grandes janelas,

guardar cada coisa no seu lugar, cada assunto no seu tempo.

Com espaço suficiente para arrumar os meus papéis em ordem,

cada palavra no seu estilo.

 

Onde a desordem da mente, vertigem perpétua, encontre assento.

E a fraqueza busque a força.

E a verdade se consagre.

E o amor e a natureza não sucumbam."

 

Mentira. Meses depois, só agora o faço.

Mas, as janelas serão as mesmas. Sem orçamento para serralharias, vejo-me obrigada a deixar de fora os vidros duplos e os alumínios lacados!

 

publicado por Capa Rota às 21:29 | comentar