Abrir por aqui


 

Atava-me as botas ortopédicas, descascava-me a laranja e dava-me os filhotes. Uma vez, comprou uma com quase um quilo. Apanhavamos flores que punhamos atrás da orelha. As cerejas, também. Colava as dobras dos meus vestidinhos de papel, ensinou-me a coser botões, entalava-me a roupa da cama e, às vezes, deixava-me dormir com ela. As primeiras letras que escrevi diziam que ela era tão linda como - abrir por aqui-, desenhava-a de mão dada. Sei que se pudesse, me tinha comprado aquela máscara da miss piggy, aquela com os cabelos loiros... Hoje, faz anos!

 

publicado por Capa Rota às 22:34 | comentar